Modelo Velho? Começando a carreira depois dos 35 anos
5 erros que modelos não podem cometer
5 Erros que Modelos NÃO Devem Cometer
14 de fevereiro de 2020
mister negro
Mister Negro – Quebrando Paradigmas
3 de março de 2020

Modelo Velho? Começando a carreira depois dos 35 anos | Carreira de Modelo | Ser Modelo

modelo-treino

 
 
Iniciar a carreira como um modelo velho foi algo que simplesmente aconteceu na minha vida. Diferente da grande maioria das pessoas, eu nunca cogitei ingressar nesse mundo.

Hoje eu tenho minha família, esposa e filha pequena, tenho mais de 40 anos e mesmo assim tenho vitalidade, de todas as formas necessárias, para trabalhar como modelo.

Uns dizem que foi sorte, outros dizem que foi uma oportunidade única. Eu considero que a mistura de sorte e preparo que me fizeram chegar até onde cheguei.

Quando surgiu a possibilidade de ingressar na carreira de modelo, eu já estava preparado.

Bom, vou compartilhar com você um pouco da minha história e presta atenção por que vou mostrar que as barreiras muitas vezes partem de você.
 
 

Oportunidade

 
porta abrindo carreira modelo
 
Minha história começou quando minha namorada, hoje minha mulher, trabalhava em uma empresa onde frequentemente produziam encartes de divulgação. Normalmente eles utilizavam modelos para tal fim.

Além de utilizarem modelos, o perfil deles era sempre de homens brancos, nunca haviam utilizado negros para representar a marca.

Então, naquela oportunidade, minha namorada sugeriu o meu perfil para fazer um teste. Ela mandou minhas fotos, sem me consultar e no final fui aprovado.
 
 

Desconfiança

 
modelo pensando
 
Nesse trabalho, o fotógrafo responsável pela captação das imagens, perguntou se eu tinha agência de modelos. Respondi que não!

De fato, aquela era apenas meu primeiro trabalho, o qual estava acontecendo como uma obra do destino, sem muito esforço direto para tal finalidade.

O fotógrafo insistiu que eu tinha perfil e que estava perdendo dinheiro por eu não acreditar no meu potencial.

Bom, eu não “botei fé” naquilo que ele estava dizendo, até por que eu achei que já tinha passado da idade para dar o start em algo mais sério. Na minha cabeça, modelo velho não tinha espaço!

Eu fiquei um tanto desconfiado pela insistência dele mas no fim acabei compartilhando meu contato pois ele tinha prometido que iria provar que eu estava errado.

Então alguns dias depois recebi um telefonema da amiga dele, booker na agência de modelos que eu faço parte desde então.
 
 

Preparo

 
modelo alongando
 
As coisas foram acontecendo meio que por acaso na minha carreira de modelo, mas isso tudo é fruto de um padrão de vida que eu adotei lá quando eu tinha 15 anos.

Quando eu tinha essa idade, presenciei um experimento com Coca-Cola e um parafuso enferrujado. O experimento consistia em submergir o parafuso coberto de ferrugem dentro de um copo com o líquido.

O resultado prometido pelo experimento era de um parafuso sem a crosta de ferrugem, com um aspecto renovado. E não deu outra, foi o que aconteceu.

Então eu pensei: -”Se esse refrigerante faz isso com esse tipo de material(ferro), imagina o estrago que não faz em nosso sistema digestivo”.

Depois disso, nunca mais bebi refrigerante!

Consequentemente, fui adicionando modalidades de atividades físicas a minha vida e rotina.

Hoje pratico diversos esportes, sendo os meus preferidos surfe, natação e corrida.

Esse mix de alimentação saudável mais atividades físicas de alta intensidade é que moldaram o meu corpo no padrão que a moda busca, com traços magros e definidos.
 
 

Quebra de paradigmas

 
modelo treinando luta
 
Como comentei antes, quando surgiu a oportunidade eu não acreditava muito pois já tinha meus 38 anos (hoje 41), não tinha a mínima noção de como me comportar na frente de uma câmera.

Eu não conhecia absolutamente nada sobre o que é ser modelo e como fazer isso!

Além disso, tinha a questão da cor envolvida que, apesar de não ser um problema crítico e pra mim funcionar como um diferencial hoje em dia.

O meu primeiro trabalho não tinha histórico de homens negros figurando as campanhas.

Eu também carregava certos preconceitos e que, aos poucos, compreendi melhor e consegui me adaptar e encarar de forma mais leve.

Além disso eu eu já estava com minha mulher planejando a vinda do nosso bebê.

Esses já seriam empecilhos suficientes para eu ficar desacreditado e não sair da minha zona de conforto.

Mas eu fiz justamente o contrário e é essa a dica que eu quero deixar pra você.

As inseguranças e os medos irão te acompanhar durante a sua trajetória e no início vai ser mais latente. Mas não se apavore!

Tenha constância e consistência nas suas atitudes. Seja profissional!

Os resultados virão, bons ou não, o importante é você dar o seu melhor e entender se a chave irá virar ou não.

Ter começado como modelo velho, para o padrão da moda, foi possivelmente uma das situações mais difíceis nesse contexto. Eu avancei até onde eu acreditei e tem dado certo.

É isso galera, se você chegou até o final é por que a minha história pode te ajudar e impactar de alguma forma positiva.

Muito obrigado por dedicar esse tempo e espero que colha frutos com as minhas lições.

Um abração, vlw
 
 
 

Rodrigo
Rodrigo
Fala pessoal, meu nome é Rodrigo Jaú, comecei a trabalhar como modelo quando eu tinha 38 anos de idade. Já realizei trabalhos bacanas para grandes marcas como Coca-Cola. Considero minha terapia a prática de esportes e alimentação saudável. Se quiser seguir minha rotina, meu instagram é @tito.martins78.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *