Conheça um dos Principais Desafio da Carreira de Modelo!
fundo parallax

Enfrentando os Desafios da Carreira de Modelo

17 de julho de 2018
trabalhar como modelo
Como Viajar para Outro País Trabalhando como Modelo
11 de julho de 2018
carreira-de-modelo-profissional
Carreira de Modelo – Um Processo de Evolução Contínuo
25 de julho de 2018

 

Olhar de Fora é Sempre Mais Fácil

foto model to model
 
Quando eu era mais nova, gostava muito de assistir a um programa de TV sobre modelos, o America’s Next Top Model (“A Próxima Top Model da América”, em português). Era um reality show onde modelos amadoras (começando do zero ou com pouca experiência), competiam pelo título de Top Model, alguns milhares de dólares e um contrato com alguma grande agência.

O mais legal eram os desafios pelos quais elas tinham que passar. Toda semana, faziam um shoot com um tema diferente e, no fim, os jurados votavam as melhores fotos. A modelo com a pior foto era eliminada, assim até restar uma só.

Alguns shoots eram em lugares normais, com roupas simples, nada demais… Mas outros eram totalmente incríveis! Em uma temporada elas tiveram que posar como os cadáveres de uma cena de crime, em outra com uma tarântula no rosto, e em outra com um vestido feito de cabelo humano – só para citar alguns exemplos.

Ok, ANTM é um reality show. Dificilmente no dia a dia da profissão de modelo nos encontraremos na situação de ter que posar como um cadáver ou com animais peçonhentos na nossa cara (Thank God). Mas, em muitos casos, teremos que trabalhar em situações desafiadoras – por diversos motivos.
 

Uma das Dificuldades da Carreira

modelo água model to model
 
Uma das dificuldades mais comuns que modelos enfrentam nos jobs tem a ver com as estações do ano. As campanhas de primavera-verão são produzidas no outono ou no inverno, e vice-versa. Ou seja: os modelos posam com roupas de inverno quando está fazendo 40ºC na rua, e seminus quando está só 8ºC, por exemplo.

Eu passei por algumas situações semelhantes em jobs diferentes. Um dos jobs foi um desfile para uma marca de lingerie. Na Serra Gaúcha. No Outono.
 

 
Eu, literalmente, sou a pessoa mais friorenta que eu conheço. Pra você ter uma noção, quando as pessoas estão de regata na rua, eu estou com um casaquinho. Quando elas estão com casacos de lã… eu, com certeza, não estou na rua… Exceto nesse job.

Nesse job, todo mundo estava de casaco de lã, e eu de lingerie… Bem, eu e as outras modelos!

Nós nos arrumamos em um hotel de Gramado, onde provamos as peças, fizemos o cabelo e a maquiagem. Depois, nós fomos até o centro de eventos onde foi o desfile e ficamos nos preparando lá.

Tivemos que esperar horas até o desfile – até então, com as nossas roupas. Eu estava cheia de casacos, já morrendo de frio, só pensando: “eu vou ter que ficar seminua e ainda desfilar… e não cair… e tentar parecer bonita e plena!”.

Mais ou menos meia hora antes do desfile, nós pusemos as lingeries e ficamos esperando prontas até a hora de começar. Nessa situação, estava todo mundo no mesmo barco. Todas quase peladas num frio de, no máximo, 10ºC, sendo profissionais, não reclamando e tentando não congelar.
 

A Hora do Show


 
E então, começou o desfile. Eram, mais ou menos, 15 modelos – e eu fui a 9ª a entrar.

Se você não sabe, diferentemente de um job de fotos, um desfile é FRENÉTICO. Ainda mais quando se tem troca de roupa – que era o caso desse job. É uma modelo entrando atrás da outra, na loucura. Enquanto uma entra, a outra está saindo, provavelmente correndo para trocar de roupa e desfilar de novo. Naquele dia, não foi diferente. Eram 3 looks para cada modelo – ou seja, duas trocas de roupa e 3 caminhadas = correria!

E [acredite ou não], a partir do momento em que eu pisei na passarela… o frio passou!

 

O Profissionalismo Deve Falar Mais Alto

como ser modelo model to model
 

Nesses momentos, a adrenalina toma conta e o foco em fazer tudo certo nem deixam a gente lembrar que está frio! Sendo um desfile ou um shoot, o que vai determinar se você vai fazer um bom trabalho é você! Pode estar frio ou super quente… no fim das contas, é você quem vai escolher se aquele job vai ser um sucesso ou não.

Minha dica é: sempre respeite o seu corpo e não se coloque em situações extremas. Avise a equipe se você estiver se sentindo mal.

Mas quando o seu mal-estar for mais psicológico que físico, foque no trabalho e na entrega que o resultado será muito bom! Dê o seu melhor, que isso aparecerá nas fotos ou na passarela. Pense: “eu estou passando frio/calor mesmo… melhor fazer algo bom disso!” – se não, você estará sofrendo à toa.

Nós terminamos o job e foi um sucesso! As clientes ficaram super satisfeitas e ainda ganhamos as lingeries de presente (YAY!). Logo que tudo terminou, coloquei meus 32165 casacos de volta e tratei de me esquentar. Dali pra frente, ao invés de frio eu sentia que tinha cumprido meu dever – e fui para casa feliz e quentinha.
 

Luiza Reck Ortigara
Luiza Reck Ortigara
Copywriter e produtora audiovisual na Model to Model. Ingressei na carreira de modelo há quase 2 anos, meio por acaso. Tenho pouca experiência como modelo profissional, mas já posso dizer que admiro muito esta profissão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *